Principal

Conscientização, prevenção e combate a incêndios

Nesta época com a entrada do inverno e o período de poucas chuvas, as queimadas se tornam constantes, sejam os incêndios, acidentais, criminosos ou de origem desconhecida, não são novidades na zona rural, tanto que os órgãos públicos através da Prefeitura Municipal e produtores rurais, estão preparados para o combate ao fogo com brigadas cada vez mais treinadas e equipadas.

O que a campanha espera é somar esforços e envolver o poder público, o setor produtivo e a sociedade para evitar ainda mais prejuízos econômicos, sociais e ambientais. Cristais Paulista possui uma Brigada de Incêndio treinada pela Defesa Civil, através de Curso realizado pelo Corpo de Bombeiros, e conta com bombas costais, abafadores, enxadas, enxadões e um caminhão pipa, para as emergências de incêndio. Todos devem ficar atentos e notificar as autoridades (Corpo de Bombeiros, Prefeitura) quando se certificarem de inícios de um incêndio, sejam nas beiradas das estradas, matas ou plantações.

1. NÃO LANCE PONTAS DE CIGARRO A ESMO

Esse é um gesto aparentemente inocente, mas que resulta em milhares de ocorrências de incêndios florestais por ano em todo o mundo. Na Austrália, a pesquisadora Jennifer Dainer, da Universidade de Tecnologia de Sydney, concluiu, após um curioso experimento com certa quantidade de feno, que o lançamento de uma simples bituca de cigarro, aliado a uma umidade relativa do ar de 14% e ventos de 40 km/h, é capaz de incendiá-lo em, pelo menos, 30% dos casos.

2. NÃO DEIXE LIXO EM ÁREAS FLORESTAIS

Um dos motivos pelos quais o lixo também é considerado um fator de risco de incêndios florestais é que, geralmente, contém recipientes de vidro. Estes, em contato com os raios solares, funcionam como um canalizador da luz e um eficiente gerador de combustão. Sem contar que, muitas vezes, o lixo pode conter potenciais combustíveis, como caixas de fósforos, restos de brasas, líquidos inflamáveis, entre outros resíduos semelhantes.

3. TOME CUIDADO COM AS REUNIÕES EM FLORESTAS

Algo muito comum nos dias atuais é a realização de festas, eventos e rituais religiosos em regiões de mata fechada, como uma forma original de confraternização. Mas o grande problema é o lixo produzido, onde muitas vezes são utilizadas velas, churrasqueiras, entre outros utensílios, que deveriam ser evitados nessas localidades. No entanto, caso seu uso seja imprescindível, o recomendado para a prevenção de incêndios é o máximo de cuidado na hora de recolher todos os resíduos produzidos.

4. NÃO SOLTE BALÕES

Muitos não sabem, mas o ato de soltar balões é considerado um crime, de acordo com a Lei dos Crimes Ambientais, nº 9.605/98. Sua criação se deu após uma série de ocorrências gravíssimas, muitas delas comprometendo seriamente inúmeras reservas naturais. De acordo com a lei, é proibido “fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios florestais”.

5. NÃO QUEIME O LIXO ENCONTRADO NAS MATAS

Muitas vezes, por uma questão de boa vontade e acreditando praticar uma boa ação, alguns indivíduos têm o perigoso hábito de incinerar o lixo que encontram em regiões de mata fechada. Para os especialistas, trata-se de um erro grave, pois dificilmente terão controle sobre as consequências dessa ação. Certamente, o fogo irá acabar se alastrando, e, a depender das condições climáticas, não será contido, por maiores que sejam os esforços.

6. UTILIZE A TÉCNICA DOS ACEIROS

Essa dica é ideal para os pequenos e grandes produtores rurais, que nem sempre têm informação suficiente sobre como prevenir possíveis incêndios florestais resultantes das suas atividades. Os aceiros são trechos de terras sem qualquer tipo de vegetação, que funcionam como uma espécie de “fim da linha”, caso surjam focos de incêndio em determinados trechos das matas. No entanto, é necessário que essas faixas de terra sejam constantemente limpas, livres do acúmulo de lixo e tenham, no mínimo, 5 m de largura, a fim de que o resultado seja realmente eficaz no combate às chamas.

**reprodução Internet