Principal

Urgente: saiba o que a irresponsabilidade de pacientes causa no sistema de saúde de Cristais

Uma prática que vem se tornando comum em Cristais Paulista e que prejudica fortemente os cofres públicos. Cerca de 20% das consultas e exames agendados para o AME Franca, AME Ituverava e Santa de Casa de Franca deixam de ser realizados porque os pacientes não comparecem nas datas agendadas pela Secretaria Municipal de Saúde.

 

 

 

Segundo o AME Franca, em uma região composta por 23 cidades atendidas pela DRS, Diretoria Regional de Saúde, Cristais Paulista ocupa o quarto lugar no ranking negativo de perda exames e consultas, atrás de Restinga, Rifaina e Patrocínio Paulista.

 

O prejuízo não é apenas financeiro, afinal o município de Cristais Paulista tem uma cota fixa de consultas e exames mensais. Os agendamentos são feitos pela equipe administrativa da secretaria, que ainda realiza a comunicação com os pacientes e organiza a logística do transporte.

 

“Essa situação não gera um impacto negativo apenas no financeiro, o paciente que não comparece tira a vaga de outra pessoa que está precisando de atendimento. Por exemplo, no mês passado tínhamos três vagas com um médico pneumologista, apenas uma pessoa compareceu. Agora em setembro não temos vagas devido as ausências. É necessário que os pacientes tenham consciência e não falte”, disse Fernanda Rita Mattos, Assistente Administrativa da Secretaria de Saúde. 

 

Entre os exames com maior índice de falta estão as tomografias, ressonâncias e raio-X. Esses procedimentos são utilizados na análise de doenças neurológicas, ortopédicas, abdominais, cervicais e cardíacas podendo diagnosticar problemas como: esclerose múltipla, câncer, infartos, pneumonias, fraturas e até infecções.

 

No caso de desistência da consulta ou exame, o paciente deve informar a Secretaria de Saúde com antecedência. “Não avisar é muita de falta de responsabilidade. É muito importante nos avisar 48 horas do dia e horário agendados. Só assim teremos tempo de gerar uma troca de pacientes sem prejuízos para a população e cofres públicos”, disse Solange Ferreira, Secretária de Saúde.